Brutamontes de BOLSONARO invadem UERJ

Share Button

Eram todos halterofilistas ou praticantes de artes marciais“, diz um aluno que assistia a aula sobre o aniversário da revolução libertadora na URSS

“O de camisa rosa era o mais ousado, tinha conhecimento de história e certamente era doutorado, ou no mínimo mestre formado em alguma universidade de coxinhas, como a Estácio. Mas era o mais agressivo. Chegou a chamar a professora de comunista.”, disse outro aluno

As imagens só vieram a tona após mais de um mês e os alunos contam que durante a agressão psicológica permaneceram todo o tempo calados, com medo. “Era como se algo tivesse nos amordaçado… nossas mentes ficaram como que paralisadas… Não sei, talvez estivessem usando alguma técnica especial de hipnose, ou algum equipamento contra nós, desses que emitem ondas ultrasônicas“, disse um dos alunos.

Todos contam que foram praticamente feitos de reféns e dizem que ainda têm medo dos fascistas. Alguns têm pesadelos todas as noites e um dos rapazes confessa que chegou a urinar na cama na noite passada. “Meu namorado ficou uma fera mas não consegui controlar, fiquei com medo de ir ate o banheiro“, diz o jovem aluno de história.

“Os invasores dispararam frases absurdas contra os professores e alunos. Chegaram a dizer que o marxismo nunca deu certo e que foi responsável por milhões de assassinatos em vários locais do mundo. Disseram também que Chê Guevara enviou pessoas para o paredão em CUBA. Temos que estar preparados para esse tipo de gente que tentará cada vez mais deturpar o que realmente aconteceu no passado. Todos nós aqui sabemos que os revolucionários de hoje e do passado tentam as vias pacíficas para alcançar a democracia plena e que nunca, em nenhum lugar do mundo, foram cometidas injustiças por marxistas… “, diz um professor.

“Nossos grupos estão se preparando para a grande guerra que deve começar com a proximidade das eleições. Certamente esse tipo de gente estará cada vez mais presente nas ruas e espaços públicos em geral… certamente apoiam o BOLSONARO. Eu soube que eles sobem em passarelas e obrigam os motoristas a buzinar e fazer sinais de apoiamento ao golpe militar”, continua o mestre, que prefere se manter no anonimato.

A REVISTA FORUM chegou a mostrar detalhes como equipamentos de ala tecnologia, como pontos de comunicação, no ouvido, usados pelos agentes da ditadura que invadiram a UERJ. Ha ainda questões colocadas sobre sua ligação com órgãos de inteligência remanescentes do período militar. A revista revela ainda que o invasor que parecia o líder chegou ao extremo de se dirigir à preletora e disparar uma frase: “A senhora é comunista“.

A revista diz ainda que um dos invasores de direita – um brutamontes de camisa azul – estava de  guarda na saída para que ninguém entrasse ou saísse do ambiente.

Diário do Brasil

Share Button

Related posts:

Leave a Reply