“Excesso de legítima defesa ” – Condenação Por Homicídio Do Cunhado De Ana Hickmann pode ocorrer em pouco tempo

“Excesso de legítima defesa ” – Condenação Por Homicídio Do Cunhado De Ana Hickmann pode ocorrer em pouco tempo
Share Button

“excesso de legítima defesa ” – Condenação Por Homicídio Do Cunhado De Ana Hickmann pode acontecer em pouco tempo

O Ministério Público irá pedir a condenação por crime de homicídio do jovem Gustavo Correia, cunhado de Ana Hickmann, acusado da morte intencional de Rodrigo de Pádua. O promotor deve sugerir pena de seis a vinte anos de prisão para Gustavo. Para grande aprte da sociedade que aacompanha o desenrolar desse caso o jovem pode apenas ter exercido seu legítimo direito de defesa quando Rodrigo de Pádua invadiu o local em que encontravam-se a apresentadora Ana Hickmann e Giovana Oliveira, sua esposa. O invasor ameaçouam bas as mulheres de morte. Gustavo reagiu, entrando em luta corporal com RODRIGO e tomou sua arma. Tiros foram disparados e o invasor acabou morrendo.

O Ministério Público pode estar ideologicamente motivado?

__A legitima defesa precisa ser estabelecida como excludente de ilicitude“, dizem várias pessoas que defendem o cunhado de ANA HICKIMANN

O que está acontecendo com o MP? Seus membros não podem ser fiscalizados, não existe superiores hierárquicos que avaliem a lógica das denúncias? É preciso ter cuidado para que a instituição não incorra no erro de interpretar a lei de acordo com o viés ideológico de seus integrantes, que aparentemente se alinham com a visão de mundo politicamente correta em voga no BRASIL.

Rodrigo, o homem que morreu, estava hospedado no mesmo hotel que ANA HICKIMANN e sua equipe. Ele rendeu Gustavo e, apontando a arma, o obrigou a ir até o quarto de Ana, onde também estava a mulher dele, Giovana, que levou um tiro.

Gustavo aproveitou um momento e reagiu. Durante a LUTA corporal o marginal foi atingido na NUCA. Mas, a promotoria alega que isso não se configura como legítima defesa, alega que três disparos não podem ser entendidos como tal.

“Onde é que foram dados os tiros? Na nuca de alguém. Como eu posso entender legítima defesa com quem dá três tiros na nuca de alguém?”, dia a promotoria.

Perita ouvida diz que não havia submissão e que acrdita que os disparos ocorreram durante a LUTA.

Diário do Brasil

Share Button

Related posts:

Chegou o DIA. Militares se preparam
"Criem uma LIGA TRANS..." Confusão. Atletas reclamam de TRANS em times femininos
Após AMEAÇA de SENADORA revista MILITAR diz: Se houver caos os cabeças - já identificados - serão p...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *